Ciência e Tecnologia a Serviço da Sustentabilidade

Ao longo do século XX testemunhou-se o desenvolvimento da capacidade humana de transformação do planeta com o conhecimento adquirido ao longo de sua existência e os avanços alcançados com a técnica de manipulação da energia e dos materiais.

Todos os campos da ciência e da tecnologia adquiriram um vasto horizonte de possibilidades. A grande maioria dos avanços se deu às expensas do consumo de bens naturais provocando danos irreparáveis aos ecossistemas e gerou um modo de vida insustentável. As soluções para operar as transformações necessárias para atingirmos gradativamente a sustentabilidade dependem diretamente do uso de tecnologias mais ecoeficientes e da aquisição de conhecimento a respeito das variáveis a serem consideradas.

Diante do cenário de mudanças climáticas, perda crescente de ecossistemas e sua biodiversidade por contaminação, destruição por desmatamento, extração mineral e crescimento da urbanidade, o direcionamento do uso do saber e da técnica humana para soluções sustentáveis não apenas atende às necessidades prementes de nosso mundo contemporâneo como representa o campo fértil das possibilidades futuras de substituição de tecnologias degradantes por tecnologias limpas.

Tomamos como diretriz os limites da sustentabilidade para que os resultados das pesquisas a serem desenvolvidas no Clube da Ciência (vide Programação(em construção)) tornem-se soluções aplicáveis concretamente e, com sua ampla divulgação, contribuam com a discussão dos temas abordados.

“A melhor forma de desenvolver os potenciais de uma nação é possibilitar que seus integrantes exerçam democraticamente seu potencial individual e coletivo.”

Ciência para Todos

A Natureza é o cenário de uma profusão de fenômenos fantásticos que permeiam nosso dia-a-dia. O mundo humano, com as descobertas científicas e os avanços tecnológicos, constituiu um intrincado universo de possibilidades quase inacreditáveis demonstrado nos campos da eletrônica, da robótica, da petroquímica, da produção de alimentos, das telecomunicações e transportes, da nanotecnologia de materiais e da pesquisa biológica, por exemplos.

Grande parte deste conhecimento e desta tecnologia, entretanto, não é compreendida pela população, apesar de tão próxima no cotidiano. Este distanciamento impede que sejam despertadas vocações que venham suprir a crescente demanda por pessoas qualificadas e interessadas nos campos da ciência e da tecnologia em nosso país, principalmente neste momento histórico de desenvolvimento econômico.

Os efeitos positivos da popularização da ciência e da tecnologia são evidentes. Estados que fomentaram o desenvolvimento científico e tecnológico de sua população e de seu parque industrial, posicionam-se atualmente na vanguarda das economias mundiais.
Quanto mais difuso, mais possibilidades existirão de este conhecimento ser útil para a qualificação de recursos humanos e melhoria de sistemas, processos e da qualidade de vida em geral, desde que orientado para o bem comum e balizado pelos limites da sustentabilidade.

O estímulo à expansão do conhecimento e da reflexão criativa promovem, além do desenvolvimento pessoal, uma auto-percepção mais completa do indivíduo na sociedade e, assim, a construção mais integral do espírito humano, individual e coletivo, permitindo melhores soluções para os problemas.